Dia de trabalho: Impactos no campo de aviação comercial pela pandemia – Desafios na Proteção de Consumidores Usuários de Transporte Aéreo.

 

Equipe da Ouvidoria Turística planejada e realizada na quinta-feira 26 Agosto o dia virtual: "Impactos da Pandemia no Campo Aéreo Comercial – Desafios na Proteção de Consumidores Usuários de Transporte Aéreo ". O objetivo do encontro foi analisar sob diferentes perspectivas o impacto social e econômico sofrido pelo setor aeronáutico durante a pandemia de Covid-19..

 

Representantes e profissionais das esferas pública e privada relacionadas ao transporte aéreo falaram no encontro. Por meio de suas apresentações, Procurou-se projetar o futuro do setor e desenvolveram-se os desafios que se colocam em relação à proteção dos consumidores usuários, tanto ao nível de normas que protejam os seus direitos, como de incentivo à concretização da reativação do setor..

 

também, Foi dada ênfase particular à necessidade de curto prazo de mudança e atualização dos regulamentos, tanto em relação aos direitos do usuário quanto à acessibilidade no transporte aéreo..

 

O evento contou com mais de 90 participantes de diferentes partes do país, pertencente ao setor público, privado e acadêmico, profissionais e especialistas em turismo, e público em geral, interessado no assunto.

A inauguração ficou a cargo do Dr.. Silvina Bacchiega, Coordenador Operacional de Proteção dos Direitos do Turista, que enquadrou o dia a partir do aspecto jurídico do ocorrido desde que foi decretado o estado de emergência sanitária no país, e as consequências que isso deixou. Estressado, además, no caso de força maior nos contratos e na necessidade de o item flexibilizar seus serviços.

 

em seguida, Dra. Carla cabrosi, Assessor de Direito da Aviação da Ouvidoria do Turismo, fez uma introdução ao dia e relatou o campus e o programa do evento.

O primeiro palestrante foi Lic. Viviana santanello, Gerente Comercial para Argentina e Chile na Air Europa. Por meio de um vídeo e uma apresentação, divulgou como a empresa teve que se adaptar aos novos regulamentos e requisitos de imigração para entrar nos diferentes países. também, enfatizou a importância de fornecer segurança aos passageiros. para fazer isso, explicou as regras de protocolos e higiene que a companhia aérea segue antes e durante a viagem, e como optaram por manter a remissão do voucher gratuita como um caso excepcional na Argentina, evitar um custo mais alto em decorrência da diferença de câmbio do dólar.

Então, continuou Lic. Nicolas Klauss Echazu, professor e co-diretor do Observatório de Transporte Aéreo e Turismo da Universidade Provincial de Ezeiza (UPE), que falou sobre os impactos econômicos e sociais da Covid-19 no transporte aéreo e no turismo. Nesse sentido, Por meio de estatísticas e gráficos, ele analisou as perdas sofridas pelos fornecedores de turismo tanto no nível regional quanto na Argentina.. também, projetou o olhar dos usuários no cenário pós Covid-19.

 

finalmente, desafios nomeados na reativação do transporte aéreo, como: estabelecer um mecanismo de coordenação e comunicação entre os diferentes atores do turismo, envolvem instituições acadêmicas que geram estatísticas de projeção de cenários com antecedência e comunicam sobre biossegurança.

Licença continuada. Marcela Falivelli, Gerente Adjunto de Atendimento ao Cliente LATAM na Argentina, dizer que a empresa teve que se tornar mais flexível e se transformar em vários aspectos: na indústria, usando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), das autoridades de saúde de cada país, e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA); em operação diária, baseado em protocolos; em segurança a bordo; e em aeroportos para evitar multidões. Porém, Falivelli confessou que uma transformação deveria ter sido gerada de dentro para fora da empresa, por meio de uma nova cultura “JETS”: ser justo, empático, transparente e simples com o usuário.

 

também, admitiu que com o lançamento das vacinas surgiu uma nova esperança, não só porque isso lhes permitiu ganhar mais confiança nos passageiros para voar, mas também um novo turismo surgiu, que era daquelas pessoas que viajaram com a intenção de se vacinar no exterior.

Depois de sua exposição, Dr.. Eduardo Rafael Iacono, especialista em Medicina Aeronáutica e Saúde Ocupacional, falou sobre a operação, deficiência e saúde para o transporte aéreo. Nesse sentido, dividiu os passageiros em dois grupos: não médicos, que incluiria pessoas com deficiência; e os médicos, o que são aqueles que têm uma doença recente, exacerbado e operado recentemente.

 

Estes últimos, detém o especialista, impacto na organização de uma viagem, e no caso de ocorrer um passageiro médico durante a viagem, pode ter influência na saúde pública e na segurança da aviação. Iacono enfatizou a necessidade de recorrer a diretrizes específicas para que áreas cinzentas não sejam levantadas com esses grupos.

Continuando nessa linha, continuou Dr.. Carlos Maria Vassallo, Professor do Instituto Nacional de Direito Aeronáutico e Espacial e da Universidad del Salvador de Direito Aeronáutico, que informaram sobre o transporte aéreo de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. sobre, resumiu alguns dos acordos de igualdade de tratamento e oportunidades. assim, enfatizado na primeira década deste século quando a IATA publicou o manual sobre transporte aéreo para pessoas com deficiência, para que os Estados Membros possam fazer seus regulamentos.

 

Vasallo trabalha para alcançar uma estrutura regulatória para ajudar as pessoas com deficiência a viajar, quem são os que têm maiores restrições para fazê-lo. para fazer isso, argumentou que há vários pontos a serem discutidos, entre eles, não discriminação e acessibilidade. também, através de vários exemplos, destacou que o maior problema para este grupo de pessoas é a incerteza de saber se terão ou não permissão para viajar durante o voo.

finalmente, a sessão foi encerrada por Lic. Imagem do placeholder de Fernando Arias, geógrafo que integra o Grupo de Análise e Estatística Econômica do Território na Gestão da Regulação Econômica Financeira do Órgão Regulador do Sistema Aeroportuário Nacional (ORSN), e é professor do Instituto de Treinamento da Aeronautical Personnel Association. Explicar a cronologia sintética da pandemia e o impacto da Covid-19 no transporte aéreo comercial e no setor aeroportuário, Arias usou gráficos e estatísticas que mostraram a queda acentuada do item que, de acordo com confessado, no futuro, eles marcarão dramaticamente a atividade.

 

Para entender melhor, explicou a evolução do tráfego mundial de passageiros desde 1945 uma 2020, a diferença regional na velocidade de recuperação, a variação no tráfego de passageiros ao longo dos anos 2019 e 2020, o impacto da pandemia na Argentina na transferência de passageiros domésticos e internacionais, entre outros.

Se você quiser ver o dia inteiro, acesse a plataforma do YouTube da Ouvidoria da Cidade Autônoma de Buenos Aires ou o seguinte link: