Código Nacional de Conduta para a Proteção dos Direitos de meninas, Crianças e Adolescentes em Turismo & Viagem

O Provedor de Justiça da CABA, com a iniciativa do Provedor-Adjunto José Palmiotti através do Tourist Provedor de Justiça CABA, no ano 2009 Tornou-se o primeiro organismo público a aderir ao código nacional de conduta por um ato de compromisso, para impedir a exploração sexual de meninas, Crianças e adolescentes com base no reconhecimento das crianças como sujeitos de direitos que devem ser garantidos pelo Estado. Até à data 72 instituições membros.

O projecto de Código de Conduta nasceu como uma iniciativa da Organização Mundial do Turismo, ECPAT Internacional e um grupo de operadores turísticos escandinavos, desenvolvido ambos os países de envio e recebimento, com a participação e compromisso da indústria do turismo para desencorajar e punir a exploração sexual comercial de meninas, crianças e adolescentes associados com viagens e turismo.

O Código de Conduta é um instrumento voluntário de adesão e uma ferramenta para responsabilidade social, Está contendo diretrizes de conduta para as empresas, agências e profissionais do turismo pode defender e / ou proteger os direitos da criança e da juventude.

As ações necessárias para promovê-lo são desenvolvidos através do Ministério do Turismo Turismo Responsável e do Gabinete do Programa Infância.

The Tourist Provedor de Justiça CABA prometeu tomar medidas adequadas para proteger as crianças, raparigas adolescentes e Tráfico Trabalho e Exploração Sexual em Viagens e Turismo aplicação dos critérios do código de conduta detalhados nos abaixo:

 

  1. Faça o compromisso assumido pela instituição pública para promover o Código de Conduta.
  2. Informar e sensibilizar todos os membros da organização para atender e comportar-se de acordo com as práticas e políticas de protecção dos direitos de meninas, Crianças e Adolescentes; e para o tratamento adequado de situações de violação de tais direitos que surgem durante a execução das suas tarefas específicas. Profissionais e pessoal incluídas no ato organização como agentes de prevenção de exploração sexual, trabalho e tráfico de crianças tendendo os interesses da criança como um princípio orientador.
  3. Denunciar, colocando símbolos externos e gerar material de informação (literatura, anúncios, adesivos, banners, etc.) para se comunicar com os moradores e turistas de compromisso da CABA através da promoção da adesão ao Código de Conduta
  4. Desenvolver ações para promover o Código de Conduta para incentivar a Entidade de Turismo e outras áreas afins do Governo da CABA aderir e implementar o Código de Conduta.
  5. Treinar "jogadores-chave" que replicam a consciência e coordenar o plano de acção através de seu Programa Defensoria do Turista.
  6. Apresentar um relatório anual avaliando as ações tomadas e os obstáculos para alcançar o objetivo proposto. Ele será apresentado ao comité de aplicação do Código de Conduta coordenado pelo Mintur.

Código Logo de Conduta